O mundo visto de cima

O mundo visto de cima

Os gatos herdaram dos seus ancestrais o instinto felino de ver o mundo das alturas. Por isso sobem nos móveis, nos carros e nos telhados. Como têm muita energia e devem ser criados dentro de casa, precisam de um ambiente estimulante para se exercitar e extravasar para suprir essa necessidade.

A médica veterinária Simone Liepkan, da Clínica Bicho Mania, em Santa Bárbara d’Oeste, dá dicas para ter um ambiente estimulante em casa para os bichanos.

“Felino é naturalmente um animal aéreo, eles gostam das alturas. Então, é muito importante que quem tem gatos e cria corretamente como deve ser, dentro de casa, que crie um ambiente favorável para o gato se exercitar, para o gato, que é um animal muito curioso, explorar”, disse Simone.

Segundo a veterinária, existem brinquedos, árvores de gato, prateleiras com várias alturas, formando uma escada, em diagonal, para eles escalarem. O tutor também pode fazer túneis e lugares fechados para eles passarem.

“Dentro de casa, criar ambientes para eles se divertirem, subir, brincar porque gato é um bicho curioso e gosta de ver o mundo do alto. Ele gosta da altura. Os meus aqui sobem nos armários, sobem na geladeira, a gente tem a prateleirinha, mas é uma situação que quem adquire um felino tem que estar ciente disso”, ressaltou a veterinária.

Simone conhece muito bem os hábitos dos felinos. Afinal, tem quatro gatos – uma fêmea e três machos -, que deixa soltos no ambiente, mas não os deixa ficar na rua. Mesmo assim, três deles querem ir para o telhado e explorar o mundo. Daí a importância de ter os brinquedos para gastarem essa energia no ambiente fechado.

Além disso, a médica destaca a importância da castração de todos os felinos – machos e fêmeas – a partir de quatro ou cinco meses. Mesmo o animal sendo castrado, o macho pode querer acasalar quando percebe que tem alguma fêmea no cio nas proximidades e fugir de casa para namorar. O mesmo ocorre com a fêmea.

Criação dentro de casa

“Gato é bicho para ser criado dentro de casa”, ressalta Simone Liepkan. “Vamos desmistificar essa história de que gato é bicho livre e tem que ser criado solto. Isso não é verdade, é mentira”, ressaltou. Daí a importância de a residência também ter uma área ao ar livre, como varanda, jardim e um ponto de luz para ficarem. E criar barreiras para não fugir para a rua. É que o gato corre riscos ao ir para a rua. “O gato criado solto, indo para a rua, além das doenças que pode contrair, pode se envolver em brigas por território com outro felino por causa de uma fêmea, pode sofrer acidente e ser atropelado, pode ser envenenado por pessoas que não gostam de animais, o que acontece muito, e o animal tem que passar por tratamento”, ressaltou Simone.

Recomendações

  • Castrar os felinos;
  • Permitir acesso à área livre, mas que tenha proteção ou tela para não subir no telhado e ir para a rua ou na casa do vizinho;
  • Ter uma caixa de areia a mais para fazer as necessidades fisiológicas. Se tiver três gatos, ideal é ter quatro caixas de areia na casa;
  • Comprar brinquedos, mesmo baratos, para ele se distrair e gastar energia de dia e ficar feliz, além de deixar os donos dormirem à noite;
  • Microchipar o felino ou colocar medalha ou correntinha com os dados do pet e do tutor.

Fonte: Jornal TodoDia

Open chat